Skip to content

O Facebook está desenvolvendo uma pulseira neural para oferecer suporte a óculos de realidade aumentada

O Facebook está desenvolvendo uma pulseira neural para oferecer suporte a óculos de realidade aumentada.

O Facebook está inovando com uma nova interface de realidade aumentada para um futuro próximo que não nos obrigará a escolher entre interagir com nossos dispositivos e o mundo ao nosso redor. Os primeiros óculos inteligentes chegarão ao mercado este ano, mas com o próximo modelo, você poderá controlar computadores com a mente.

A empresa está trabalhando em um wearable baseado no pulso que pode ser usado para controlar óculos de realidade aumentada (RA). As pulseiras usam eletromiografia (EMG) para converter sinais neurais sutis em ações – como digitar, deslizar ou tocar.

Ele pode medir os gestos das mãos e dos dedos e até suporta feedback tátil. O projeto está sendo desenvolvido pelo Facebook Reality Labs.

O EMG usa sensores para converter os sinais nervosos do motor elétrico que chegam à sua mão através do pulso em comandos digitais que você pode usar para controlar as funções de um dispositivo. Esses sinais permitem que você envie comandos nítidos e de um bit para o seu dispositivo, um nível de controle altamente personalizável e adaptável a muitas situações.

O Facebook está desenvolvendo uma pulseira neural para oferecer suporte a óculos de realidade aumentada.
As pulseiras podem interagir com o mundo virtual movendo os dedos. Crédito da foto: Facebook

Os sinais através do pulso são tão claros que o EMG pode entender os movimentos dos dedos tão pequenos quanto um milímetro. Isso significa que a digitação pode ser fácil. No final das contas, pode até ser possível sentir apenas a intenção de mover um dedo. Com sensores em seu pulso, você pode interagir com objetos virtuais ou controlar o ambiente de sua sala de estar quase sem problemas. E quem nasceu sem mão pode até aprender a usar uma virtual.

Mesmo em suas iterações mais simples, esses controladores oferecem uma interface que você pode carregar o tempo todo ao invés de pegar e segurar como os controladores Oculus Touch VR atuais.

Esta é a jogada do Facebook na dura competição entre gigantes da tecnologia como Apple, Amazon e Alphabet, em uma indústria que acredita que os óculos substituirão os telefones celulares. O Facebook já havia dito que, no futuro, os óculos inteligentes dependerão de dispositivos como telefones celulares devido a limitações como a duração da bateria e o calor gerado por seu processamento. A pulseira pode servir de plataforma para o cálculo e apoiar essas funções.

As pulseiras AR ainda estão sendo testadas e aprimoradas em termos de processamento de informações e coleta de dados. Por conta disso, a empresa ainda não anunciou a data de lançamento do novo acessório.

No final deste ano, o Facebook planeja anunciar um trabalho inovador em robótica suave para construir dispositivos vestíveis confortáveis para o dia todo e fornecer uma atualização sobre nossa pesquisa sobre luvas táteis. O dispositivo se concentra em EMG (eletromiografia) baseada no pulso como um caminho para o desenvolvimento do dispositivo de pulso como um estágio inicial e irá posteriormente evoluir com luvas hápticas e vestíveis mais coesos.